O que você está procurando?

podcast-4.png

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

4 FASES DO TRABALHO DE PARTO



O Trabalho de parto é divido em 4 etapas:

1º fase Pródromo

2º fase Latente

3º fase Ativa

4º fase Expulsivo


1º Fase: PRÓDROMOS

Contrações irregulares, curtas, não dolorosas e não apresentam evolução de dilatação. Normalmente a mulher 1 contração e volta a contração depois de dois dias. A intensidade varia de mulher para mulher, algumas nem sentem. 2º Fase: LATENTE A frequência das contrações marcam o início do trabalho de parto. Nesta fase começa oficialmente o seu trabalho de parto. Ela é caracterizada por contrações regulares, ou seja, com uma certa frequência, porém são espaçadas, as contrações são toleradas e pouco dolorosas. A mulher consegue interagir, comer e conversar. É recomendado a mulher ficar em casa, pois esta fase é demorada podendo passar de 8 a 20hs para evoluir para a próxima etapa. Mulheres que não sabem e não conhecem as etapas e fases do trabalho de parto, acabam indo para o hospital muito cedo, e passam muitas horas desnecessária naquele ambiente sem muita privacidade, e muitas vezes a mãe acaba se cansando e quer desistir, e convence o médico para uma cesárea precoce.


Quando está nessa etapa, a mulher é orientada a passear no parque, sair para comer, e fazer pequenas caminhadas, o que ajuda na descida do bebê na pelve. “Dá para ver filmes, conversar com tranquilidade, dormir, entre outras tarefas que ajudam a distrair a mente, pois ainda não é a hora de ir para a maternidade. A gestante deve aguardar em casa, a evolução espontânea da dilatação e voltar quando as contrações estiverem se intensificando.

3º Fase: ATIVA O que caracteriza a fase ativa do trabalho de parto é o maior número de contrações mais dolorosas. É nesta fase que a gestante deve ir para o hospital. As dores são bem perceptíveis, mais fortes, intensas e mais frequentes. Nesta etapa espera-se que seja 1 contração a cada 5 minutos ou menos tempo. Chegando no hospital o médico ou enfermeira obstetra irá observar 3 características que marcam esta fase:

  • Colo do útero mais afinado;

  • Cabeça do bebê um pouco mais baixa;

  • Dilatação de 3 a 5 centímetros.


Depois da paciente internar, o esperado é que evolua a dilatação 1 centímetro por hora. Então vai demorar em torno de 5 a 6 horas para o nascimento. Claro que esses dados podem variar, pois cada organismo funciona de modo diferente. Nesta etapa ativa do trabalho de parto, a enfermeira obstetra irá orientar a mãe com recursos de alívio a dor como: Exercícios, andar pelo hospital, bola, água; chuveiro, banheira, massagem...

4º Fase: EXPULSIVO Aqui nesta fase o colo do útero alcançou o máximo da dilatação, ou seja, a dilatação total; os tão esperados 10 centímetros! As contrações são mais frequentes e menos espaçadas. O tempo médio para a saída do bebê é de 30 minutos. Nesta etapa precisa muito da participação da paciente, ela irá sentir uma vontade incontrolável de fazer força. O útero faz a força sozinho para expulsar o bebê, mas a paciente precisa colaborar para somar mais força, para que o bebê não tenha sofrimento fetal. Como deve ser a força da mãe? A mãe deve respirar, segurar o ar e esperar a próxima contração para somar com a força da mãe, útero do bebê. ROMPIMENTO DA BOLSA A bolsa poderá se romper em qualquer fase do trabalho de parto, em quatro situações: romper de forma espontânea fora do trabalho de parto, romper durante as contrações, romper no período expulsivo (quando a cabeça do bebê se exterioriza). E o obstetra pode, em algumas situações, romper a bolsa. Mas normalmente a bolsa se rompe espontaneamente durante a fase ativa do trabalho de parto. Quando a bolsa rompe e esvazia o líquido amniótico, a cabeça do bebê desce mais e posiciona-se melhor no canal do parto, forçando ainda mais o colo do útero, onde ajuda a evoluir melhor a dilatação. Existem alguns casos em que o bebê nasce e permanece na bolsa de águas (parto empelicado). Posteriormente, ocorre a ruptura.

EXPULSÃO DA PLACENTA Após o nascimento a equipe médica poderá já alcançar o bebê para a mãe a fim de que o bebê possa mamar. A estimulação da boquinha do bebê nos seios da mãe, induz o útero a expulsar a placenta naturalmente como a última contração. Com a saída da placenta é o fim do trabalho de parto.


SIMULAÇÃO AO PARTO NATURAL




Posts recentes

Ver tudo